Ecologia: Relações Ecológicas 1. Os Organismos Interagem entre Si.

Nenhum organismo é isolado, ele se relaciona intimamente com o meio em que ele vive. É do ambiente que ele extrai recursos como alimento, abrigo, parceiro para reprodução, e é também no ambiente que ele encontra desafios à sua sobrevivência: temperaturas excessivas, inimigos naturais, doenças, deslizamentos... Vemos assim que o organismo pode se relacionar tanto com os elementos bióticos - isto é, os outros seres vivos - como com os abióticos - a parte não viva do ambiente.
A interação com os elementos bióticos é chamada de relação ecológica ou interação biológica. E um organismo pode tanto interagir com indivíduos de sua própria espécie - por exemplo, na reprodução sexuada - como com indivíduos de espécies diferentes - como uma onça caçando um tatu.

Nas análises sobre as interações entre os indivíduos das populações é importante avaliar o efeito populacional - isto é, como elas afetam toda a população e não unicamente os indivíduos que interagem. Pois se analisarmos unicamente sob o ponto de vista de indivíduos, poderemos chegar a conclusões enganosas: por exemplo, se pensarmos que os seres humanos se alimentam de carne bovina, à primeira vista, isso nos faria pensar que o efeito da interação entre humanos e bovinos domésticos é negativa, no entanto, em termos de população, essa relação faz com que o número de vacas e de touros seja maior do que seria possível na natureza, já que, devido à criação, na qual os seres humanos fornecem alimentos, abrigo e cuidados veterinários, os animais se reproduzem com mais eficiência.

O efeito populacional pode ser negativo - quando a população diminui de tamanho, isto é, o número total de indivíduos diminui - positivo - quando a população aumenta de tamanho e neutro - quando a população não aumenta nem diminui de tamanho. Esse efeito é tomado em comparação à uma situação em que não houvesse nenhuma interação entre os indivíduos. Para saber qual é o efeito, um dos modos dos ecologistas investigarem, é isolar as populações: por exemplo, cercar com tela uma área em que uma espécie de planta se desenvolve de modo a impedir que os insetos que a polinizam entrem e comparar o que acontece com a população dessa planta em uma área em que não se colocou a tela.

Se indivíduos de diferentes populações interagem, o efeito sobre cada população pode ser bem diferente - uma população pode aumentar e a outra diminuir: por exemplo, a infestação de tripanossomos em uma cidade - a população dos tripanossomos aumenta ao se reproduzirem nos indivíduos da cidade e infectarem novos hospedeiros, enquanto o número de habitantes na cidade diminui pela morte dos doentes. Nesse caso, para uma população o efeito é positivo (tripanossomo), enquanto que para outra o efeito é negativo.

Se para pelo menos uma das populações envolvidas o efeito é negativo, a relação pode ser chamada de relação desarmônica. Se em nenhuma das populações envolvidas o efeito é negativo - pode ser tanto positivo como neutro - diz-se que a relação é harmônica.

[texto publicado em áudio no Vestibucast da Folha de São Paulo/Agora São Paulo em 20/09/2006. Agradecimentos.]


Copyrights © 2006 por BioMagister.com - todos os direitos reservados. É permitida a utilização livre de ônus do material publicado nesta seção para propósitos educacionais sem fins lucrativos, desde que citada a fonte.